Honda F1

Uma nova era

Os bons velhos tempos. Os anos maravilhosos. Uma era dourada. A história da McLaren-Honda vem já desde os anos 80. Agora, voltámos para fazer a história da F1 outra vez.

Percorrer

Testar, afinar, repetir, obcecar.

Motor do automóvel Honda F1.

O nosso trabalho nunca está terminado

Por que competimos

Para avançar, para formar ideias, para testar, falhar e aprender - precisamos de novos desafios Eles inspiram-nos a pensar como nunca pensámos antes.

É isso que a Fórmula 1 faz. É o derradeiro desafio da engenharia. Isto significa que o nosso trabalho nunca está acabado. Nunca está completo. Procuramos sempre fazer melhor - um pouco mais de potência, um pouco mais de eficiência.

Na pista, esta é a diferença entre ser participante e candidato ao título, entre derrota e vitória. Quando a corrida termina, estamos prontos para começar tudo outra vez.

Os elementos da corrida

Os nossos motores combinam um calor intenso, alta voltagem e poderosa computação.

Um motor de F1 já não pode confiar apenas na força bruta para impelir o automóvel na pista. O rigor das novas regras exige também eficiência. Inovámos numa série de tecnologias que maximizam a potência, minimizando, ao mesmo tempo, o desperdício.

As Unidades de gerador do motor, o Armazenamento de energia e uma computação inteligente não tornam o nosso automóvel apenas mais económico. Garantem que o nosso motor turbo 1.6 V6 é tão poderoso quanto o 2.4 V8 utilizado em 2013.

Dois elementos da equipa Honda F1.
Motor do automóvel Honda F1.
Automóvel Honda F1 com elementos da equipa.
Grande plano do automóvel Honda F1.

Concebido para a pista e para a estrada

Hoje em dia, a abordagem para a construção de um automóvel de F1 não é diferente da de um automóvel de estrada da Honda.

Vista dianteira do Honda Insight na estrada.

O Insight foi o primeiro automóvel híbrido a chegar ao mercado dos EUA.

Na época de 2015, a eficiência é recompensada na Fórmula 1. Foi por isso que regressámos ao desporto. Isto significa que as vitórias que concretizamos na pista podem inspirar os nossos automóveis de estrada. O desafio é o mesmo: mais potência, menos combustível.

Desempenho reimaginado

Procuramos sempre maximizar o desempenho e minimizar o desperdício - mesmo em automóveis desportivos como o NSX e o Civic Type R. O nosso regresso ao mundo da alta tecnologia da F1 significa que podemos continuar a procurar o desempenho, a eficiência e o espírito de corrida ao mais alto nível.

Vista dianteira do Honda NSX a três quartos.

O Honda NSX é uma mistura de desempenho de super-carro e de tecnologia híbrida.

Vista dianteira esquerda a três quartos do Honda F1 na pista.

O novo motor turbo 1.6 V6 da F1 foi afinado com tecnologia eficiente e de melhoramento de desempenho.