Fechar

Honda CRF250R

Aceleração máxima

Desempenho eletrizante

BOTÃO

Arranque elétrico

 

com ignição de transístor completa 

Redline às

14 400rpm

 

motor DOHC totalmente novo

Domine as curvas

Scroll

Logótipo da Honda CRF250R.

A bala vermelha

Uma máquina da classe MX2, incrivelmente rápida, que foi totalmente redesenhada, com maior potência a elevadas rotações para se manter bem na frente do pelotão; foi concebida de forma inteligente e é perfeitamente equilibrada

A partida perfeita

A primeira curva é o objetivo principal: chega aí em primeiro e a vitória fica mais perto

Com um motor e um chassis completamente novos, desenvolvida diretamente a partir da CRF450R da HRC pelas equipas de fábrica de MX, a CRF250R faz com que se sinta um piloto "oficial". A relação peso/potência foi melhorada para maior eficácia em termos de maneabilidade, estabilidade e tração. A performance pode ser personalizada usando três mapas que, através do EMSB (botão de seleção do modo do motor), ajustam a potência do motor ao piloto, à sua condução e ao tipo de pista. Esta moto foi construída para lhe dar vantagem em qualquer lado.

Grande plano do subquadro e da estrutura do filtro de ar da Honda CRF250R.
Roda dianteira e travão de disco da Honda CRF250R.
Grande plano do depósito e da carenagem do radiador da Honda CRF250R.
Grande plano do motor e quadro em alumínio da Honda CRF250R

Energia concentrada

Na sua base está o novo e potente motor altamente rotativo.

A grande mudança está na dupla árvore de cames montada na cabeça de um motor com diâmetro do pistão inferior ao seu curso. Esta configuração permite montar válvulas de admissão e de escape de maior diâmetro - e maior abertura - para um aumento do fluxo de gases. Taxa de compressão de até 13.9:1. Este motor proporciona uma potência máxima incrível sem prejudicar a entrega binário que garante elevada tração, tudo o que precisa para arranques rápidos.

Modos ajustáveis

É possível afinar a moto de forma a adaptar-se às capacidades individuais: o modo 1 utiliza a combinação base de mapas de ignição e injeção de combustível, para que a potência e o binário sejam fornecidos de forma equilibrada. O modo 2 é suave por natureza, proporcionando uma sensação de controlo fácil do acelerador, enquanto que o modo 3 é mais direto, com potência agressiva e imediata. 

Perfil traseiro da Honda CRF250R.

Elegante, leve e potente: é o que a maioria dos seus rivais vai ver.

Vista transversal do motor da Honda CRF250R.

Com este novo motor compacto, potente e de elevadas rotações, tem mais probabilidades de ser o número 1 se conduzir uma CRF250R.

A transmissão

A carcaça da embraiagem foi simplificada e aligeirada, tendo no interior uma cesta de embraiagem revista que permite tirar o máximo partido de toda a potência do motor. A caixa de cinco velocidades - com a primeira e segunda relações mais curtas para uma aceleração rápida - foi construída com novas materiais de elevada resistência, sendo 200 g mais leve do que a anterior CRF250R.

 

Grande plano da manete da embraiagem e dos botões de seleção do modo de condução da Honda CRF250R.

Os modos de condução podem ser facilmente alterados premindo um botão do lado esquerdo do guiador.

Forjado de corrida após corrida

Um quadro leve e robusto, aperfeiçoado ao longo de anos de intensa competição.

Vista traseira a três quartos da Honda CRF250R.

A altura do banco aumentou, até aos 957 mm, tal como a distância livre ao solo, para 327 mm.

A suspensão e a maneabilidade também foram melhoradas: o amortecedor traseiro Showa, totalmente ajustável, está montado em posição baixa e na zona central da moto, contribuindo para a melhor centralização de massas. Na dianteira, a nova forquilha invertida Showa, de 49 mm de diâmetro em aço tem uma ação suave e progressiva e é totalmente ajustável; é uma combinação que proporciona uma suspensão com especificações idênticas às equipas de fábrica.

Máxima tração

A CRF250R utiliza o quadro em alumínio CRF de sétima geração, o mesmo da CRF450R, para maior eficácia em curva, acrescida estabilidade na dianteira e mais tração. As traves principais foram adelgaçadas para atingir um equilíbrio perfeito entre a rigidez e a flexibilidade. Em conjunto com um braço oscilante mais comprido, também contribui para maior tração da roda traseira, além de melhorar a sensação de controlo do piloto. 

Grande plano do subquadro traseiro da Honda CRF250R.

O subquadro traseiro é feito em alumínio extrudido e é 20% mais leve do que anteriormente, contribuindo para a centralização de massas.

Grande plano da suspensão traseira da Honda CRF250R.

Os componentes da suspensão da CRF250R podem ser totalmente adaptados ao peso e estilo do condutor, melhorando assim a maneabilidade independentemente das condições da pista.