• Front three-quarter facing Honda Fireblades in the MotoGP race.

    O gene da competição

    Está no nosso sangue

  • Side facing Honda Fireblade in the MotoGP race.

    O gene da competição

    Melhora a espécie

  • Front facing Honda Fireblade in the MotoGP race.

    O gene da competição

    Não poderíamos existir sem a competição

Por que competimos

"Sem competição, a Honda não existe" - Soichiro Honda.

Em 1958, o fundador da Honda anunciou a sua vontade de competir em corridas de motociclismo e dedicou toda a sua energia a esse objetivo. O seu legado continua vivo e está no centro de tudo o que fazemos. Está no sangue de cada piloto e membro da equipa, a todos os níveis e em todas as classes. 

Grande plano de Soichiro Honda.
Grande plano de Marquez imediatamente após vencer a corrida para o título.
Vista dianteira a três quartos da Honda Fireblade numa corrida WSBK.
Grande plano da moto Honda EWC na pista de corridas.
Vista dianteira a três quartos da Honda Fireblade numa corrida MotoGP.

Criar uma ligação com a RC213V.

São necessários dias e dias de preparação para ser uma fração de segundo mais rápido; pode ser a diferença entre ganhar ou perder. A velocidade vertiginosa tem de ser equilibrada com as novas tecnologias para proporcionar controlo, aderência e manobrabilidade no auge do desempenho da máquina. Por fim, colocamos o último e mais importante componente de todos – o piloto. Seja bem-vindo ao mundo do MotoGP.

Dois pilotos Honda MotoGP a celebrar a vitória na corrida.

WSBK – Competir em todo o mundo

Vista dianteira de três quartos da moto Honda WSBK durante a corrida.

Este é o grande palco para a nossa melhor moto de produção: a CBR1000RR Fireblade SP2

De Phillip Island na Austrália à ronda final em Losail, no Catar, a equipa Red Bull Honda enfrentará desafios em função das características e do piso de cada pista. Tanto os pilotos como a equipa têm de estar concentrados muitas horas para aperfeiçoar continuamente a "Blade" nos treinos, na qualificação e nas duas corridas ao longo do fim de semana.

Dois pilotos Honda em motos WSBK Honda Fireblade.

EWC – Os nossos melhores momentos

Vista dianteira a três quartos da Honda Fireblade numa corrida EWC.

Sempre a fundo, volta após volta, na Honda CBR1000RR SP2 Fireblade.

O derradeiro teste de piloto e máquina é definitivamente o Campeonato Mundial de Resistência (EWC). Para competir nesta classe, a fiabilidade é tão importante como as performances e a Honda Fireblade já provou ser candidato de peso nestas fabulosas corridas. A equipa da Honda trabalha de forma incansável durante todo o dia e a noite, enquanto os pilotos se levam a si próprios e à CBR1000RR SP2 até ao último limite.

Pilotos Honda EWC a celebrar a vitória.
Vista dianteira da moto Honda fora de estrada com piloto, a derrapar sobre lama.

O piloto oficial e a sua Honda

Todos os músculos e tendões prontos, o piloto engrena a mudança, a embraiagem no ponto certo; sente-se nos dedos, a moto quer arrancar. A grelha de partida cai e a moto salta para a frente, levando o piloto para aquela primeira curva tão importante. Chamamos-lhe "a partida perfeita" e a corrida pode ser ganha ou perdida neste preciso momento. É físico, difícil e não há espaço para hesitações no MXGP ou MX2.

Piloto Honda MXGP após a corrida numa tempestade de pó.
Vista traseira a três quartos da Honda CRF450 a passar por dunas de areia.

As corridas de motociclismo fisicamente mais exigentes do mundo.

Um desporto em que a força de vontade do piloto é tão importante como a potência e o desempenho da sua moto. A equipa Honda Monster Energy conhece bem o grande desafio das corridas Rally, em que os pilotos, nas suas motos CRF450, têm de enfrentar alguns dos terrenos mais difíceis e árduos do mundo. Esta corrida contra o tempo é talvez o desafio mais difícil para piloto e máquina.

Piloto Honda Rally a celebrar a vitória.